Central de Atendimento
42 3220-2666
Ponta Grossa – PR
11 3606-5700
São Paulo – SP

Blog

Compliance na logística

Os centros logísticos se tornaram fundamentais na superação de desafios próprios de empresas que procuram melhorar os resultados das produções. No entanto, apenas organização não basta para que dificuldades relacionadas à transparência, conexão com o propósito e adesão à cultura empresarial sejam superadas.

Tais impasses, embora não pareçam conectados, influenciam nos resultados obtidos e exigem padronização das tarefas para ser alcançada a excelência. A partir desse desafio, muitas empresas apostam em ferramentas que visam minimizar os erros e garantir a conformidade das operações: um exemplo positivo é o compliance.

 

O que é compliance?

Compliance deriva do verbo em inglês “to comply”, que significa se adequar às leis, requisitos e normas de uma empresa. Ou seja, diz respeito ao ato de seguir e respeitar protocolos relacionados à distribuição, armazenamento e transporte de produtos.

Muito mais que “andar na linha” refere-se à seguir diretrizes que garantem a segurança, o bem-estar da equipe e os resultados esperados de uma empresa.

Justamente por isso, compliance é implementado quando existe a necessidade de evitar problemas. Ele busca alcançar a máxima eficiência através da padronização das operações. Com isso, os erros são minimizados e há uma maior economia dos gastos com resolução de problemas.

 

Benefícios do compliance para a logística

Com a rotina dos armazéns, compliance consegue oferecer guias de operações que norteiam as atividades e permitem sua padronização. Com isso, é possível identificar uma rede de ações que buscam a alta performance e podem ser replicadas sem erros.

Identificar

A realização de compliance garante que sejam organizadas análises periódicas em busca de erros ou problemas. Com isso, é possível distinguir setores que ocasionam mais imprecisões e, consequentemente, as atividades passam por revisões frequentes, sempre em busca dos melhores resultados.

Prevenção

Existindo um processo de identificação de adversidades, é possível implementar medidas que mitiguem melhorias. Dessa forma, a prevenção é sempre colocada como prioridade através da criação de soluções para possíveis irregularidades.

Monitoramento

Não apenas é possível estabelecer soluções em caso de contratempo, com o compliance existe a capacidade de acompanhar as operações para avaliar resultados e corrigir erros antes mesmo de causarem mais danos.

Resolução

Se os projetos são monitorados para compreender se seguem ou não as normas estabelecidas, é possível determinar processos que contenham erros e que dúvidas seja solucionadas de forma rápida e facilitada.

Orientar

Para garantir que tudo esteja em ordem é preciso certificar-se de que a equipe está engajada nas tarefas e seguindo os protocolos propostos. Essa adesão é imprescindível para que tudo ocorra exatamente e deve ser fomentada sempre que possível através de treinamentos que levam os profissionais a caminharem juntos.

Credibilidade

Entregar resultados positivos aos clientes não apenas garante sua satisfação, mas fornece uma fonte de credibilidade à empresa. E esses resultados podem ser replicados, pois seguem protocolos pré-estabelecidos, favorecendo a fidelidade dos consumidores.

Eficiência

Seguindo normas estratégicas e atestadas por especialistas, as produções sempre são entregues com as melhores soluções, alcançando a mais alta eficiência nas produções.

 

Como implementar compliance na logística?

Com todos esses benefícios em mente, o compliance de fato é uma das formas mais ágeis de garantir que os colaboradores trabalhem segundo altos padrões de qualidade. Entretanto, sua implementação parece um desafio à parte, visto que em empresas de grande porte as tarefas são setorizadas segundo especificações, dificultando a comunicação.

Portanto, seguir uma estratégia de implementação específica é essencial para facilitar o processo e reduzir os erros decorrentes.

Isso inicia com a análise dos processos logísticos presentes e dos números atuais. Essa investigação permite que se conheça as possibilidades e como podem ser otimizadas.

Vale lembrar que todo o processo só pode ser executado se toda empresa participa ativamente da tomada de decisões e na aplicação dessas no dia a dia. São os colaboradores que colocarão em prática e, juntos, eles podem apontar as melhores ações.

A partir dessa participação será possível criar um código de conduta interno que rege normas específicas de trabalho. Para que ofereça melhores resultados, é importante dar atenção a protocolos externos que analisam ações em contextos maiores.

As leis são um bom exemplo disso e algumas das mais aplicáveis ao contexto dos centros logísticos são:

  • CIOT (Código Identificador da Operação de Transporte): Fiscaliza os fretes pagos pelas transportadoras;
  • DT-e (Documento Eletrônico de Transporte): Regulamenta um Documento Eletrônico de Transporte, que reduz a burocracia do transporte e simplifica as contratações;
  • LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados): Orienta o cuidado e proteção de dados de clientes.

Após a determinação desse código, que orienta as atividades, é preciso realizar um monitoramento constante para entender onde ainda é necessário implementar modificações. Dessa forma, os administradores compreendem os resultados obtidos, entregam relatórios mais efetivos e a empresa satisfaz os clientes com mais agilidade.

É por isso que a Águia Sistemas se dedica a trabalhar segundo normas sérias que garantem a segurança dos produtos, da equipe e, principalmente, dos clientes. Nossos produtos contam com alta qualidade de produção para alcançarem uma performance de destaque e tragam os melhores resultados sempre.

 

(O texto acima foi escrito com informações dos sites cargox.com.brcomprovei.comndd.techlogistica.pibernat.com.br e gkofrete.com.br)