Central de Atendimento
42 3220-2666
Ponta Grossa – PR
11 3606-5700
São Paulo – SP

Blog

Sistema PUDO: Modelos existentes e tendências

Com o Sistema PUDO ter um ponto de entrega para deixar a mercadoria adquirida pelo consumidor pode ser melhor que a entrega à domicílio

 

O Sistema PUDO (Pick Up & Drop Off) foi criado na França, em 1983, pela empresa  Relais Colis. O objetivo era criar um método barato e alternativo de entrega para clientes que passam cada vez mais tempo fora de casa. A ideia era simples: definir um local para que o consumidor retirasse por conta própria o que havia comprado. Na época ninguém pensava no comércio on-line. Mas quando as vendas virtuais começaram a aumentar, principalmente agora, no século XXI, ter um ponto de entrega para deixar a mercadoria adquirida pelo consumidor se tornou, para muitas pessoas, melhor do que receber o produto em casa. Afinal, tudo depende da rotina de cada um. Em tempo: Pick Up & Drop Off, traduzido do inglês para o português, significa “Pegar e Largar”. Largar! Ou seja, o Sistema PUDO se tornou também uma opção para a devolução de mercadorias, processo incluso na logística reversa dos dias de hoje.

     De acordo com o site liveuniversity.com, existem cinco versões do Sistema PUDO sendo usadas atualmente: 

  • “LOCKERS – Você provavelmente já deve ter ouvido falar desse modelo. Os lockers – mais conhecidos do mercado até o momento – são armários inteligentes que oferecem a possibilidade de retirar a mercadoria no horário mais conveniente para o consumidor. Normalmente funcionam 24 horas nos sete dias por semana. O responsável pela popularização do serviço foi a Amazon, espalhando mais de 2.800 unidades nos Estados Unidos. Em relação ao investimento, o locker requer um alto investimento, visto que é preciso ter uma rede com várias unidades espalhadas, além da necessidade de um espaço bem localizado para deixá-los próximos aos consumidores.
  • CLICK & COLLECT – Grandes varejistas do Brasil, como Magazine Luiza, C&A, Renner, Via Varejo, entre outras, já usam este modelo. Ao realizar a compra no e-commerce de uma dessas marcas, há a opção de direcionar a mercadoria para uma das lojas físicas mais próximas do consumidor. Esta é uma ótima solução para varejistas que dispõe do canal on-line (e-commerce) e offline (lojas físicas), pois leva uma experiência omnichannel ao cliente, reduzindo frete, prazo da entrega e aumentando as vendas das lojas físicas. Em contrapartida, há necessidade de um alto investimento em lojas físicas para o funcionamento do modelo.
  • PICK-UP POINT – Traduzindo o termo para o português, os “pontos de retirada” são estabelecimentos comerciais, como mercados, farmácias, shoppings, academias, entre outros locais credenciados para receber e guardar mercadorias compradas pela internet por até sete dias. Esses comércios passam por critérios de seleção, como horário de funcionamento, aparência, localização e disponibilidade de espaço. Recebem, ainda, treinamento, tecnologia e suporte constantes para realizarem a operação de receber e entregar as mercadorias. Além de solucionar problemas logísticos, o ponto de retirada otimiza o branding do e-commerce: oferece a opção de ter um ponto exclusivo com a marca da empresa em locais estratégicos com alto fluxo de pessoas.
  • KIRANA – As Kiranas recebem mercadorias compradas on-line por pessoas próximas à sua localização. Elas realizam a última etapa da entrega, levando a mercadoria até a casa do cliente e recebendo uma comissão pela operação. Com esta opção, e-commerces e transportadoras diminuem o número de funcionários de suas áreas logísticas — terceirizam esta última etapa para reduzir custos e problemas.
  • SOCIAL PICK UP POINT – Social Pick Up Point é uma variação do Pick Up Point. Ele permite a qualquer pessoa usar um espaço ocioso da sua casa como ponto de retirada de mercadorias compradas pela internet. E ainda promove uma renda extra (sem custos)! O objetivo, além da otimização logística, é criar relacionamentos entre moradores do mesmo bairro. Em paralelo, acaba por influenciar na redução da violência por todos se conhecerem. Por isso traz o “social” no nome.”

     Outra variação é o CURBSIDE PICKUP, ou entregas feitas na calçada. Embora pouco difundido no Brasil, essa é mais uma forma de entregar com rapidez, comodidade e segurança. Pelo menos em outros países.

 

Entrega de compras

 

     E o Sistema, criado nos Anos 80 do século passado, traz uma série de vantagens. Veja agora algumas delas, listadas pelo site ecommercebrasil.com.br

  • “MUITO MAIS ECONÔMICO – Um gargalo de produção para quem faz entregas é a demanda porta a porta. Com o PUDO, ela é minimizada ou deixa de existir, já que as entregas passam a se concentrar em estabelecimentos comerciais cadastrados (ou armários estrategicamente distribuídos). Nem precisamos ir muito longe para concluir que sai muito mais em conta para quem precisa arcar com os custos de entrega, não é?
  • ENTREGAS EM MENOS TEMPO – O PUDO também gera economia de tempo. Em vez de percorrer vários endereços para realizar as entregas, você passa a deixar várias encomendas em pontos previamente escolhidos. Com isso, fica mais fácil programar trajetos de entrega, que podem ser cumpridos em horários com menos tráfego. Ou seja: o PUDO ajuda a entregar mais rápido porque também ajuda a evitar os sempre inconvenientes congestionamentos.
  • AUMENTA A SATISFAÇÃO DO CLIENTE – Uma pesquisa da Small Business Trends revela que 95% das pessoas preferem entregas em até um dia, não importa o meio utilizado. Assim sendo, o modelo PUDO é mais uma forma que você tem para deixar seus clientes mais satisfeitos, afinal, o que importa para eles é a agilidade nas entregas.
  • DEMANDA POR VEÍCULOS REDUZIDA – Isso sem contar que, com trajetos menores por cumprir, sua demanda por veículos tende a cair de forma significativa. Com uma frota menor, você poupa gastos em combustíveis, peças de reposição e mão de obra. Vale destacar que, no Brasil, o modal rodoviário é predominante, no entanto, isso não é acompanhado de uma malha rodoviária de qualidade. Então, ao aderir ao PUDO, você também dá uma solução para mais esse problema de ordem logística.
  • DIMINUI A EMISSÃO DE GASES – Menos veículos em circulação também significa menos emissão de gases causadores do efeito estufa na atmosfera. Ao preferir o modelo PUDO, indiretamente você está contribuindo para a melhora da qualidade do ar, um problema que afeta principalmente os grandes centros urbanos.
  • AJUDA O COMÉRCIO LOCAL A CRESCER – Os estabelecimentos comerciais que se cadastram como pontos de coleta são remunerados pela prestação desse serviço. Além do ganho financeiro, o comerciante parceiro do e-commerce também ganha com o aumento do fluxo de clientes em sua loja. Aliás, estima-se que 30% das pessoas que vão a um estabelecimento buscar produtos acabam comprando alguma coisa nele.
  • SEGURANÇA SANITÁRIA – Como você sabe, entre as medidas de controle da pandemia está o distanciamento social. O PUDO ajuda nesse sentido, já que sistemas como o lockers evitam o contato entre o profissional que faz a entrega e o cliente.
  • MAIOR EFICIÊNCIA LOGÍSTICA – Os custos com logística são sempre pesados e, se não houver gestão rigorosa, podem sair do controle. Para evitar isso, o ideal é minimizar tanto quanto possível a demanda por veículos, seja com frotas menores, seja diminuindo os percursos. O sistema de pontos de coleta é perfeito nesse sentido, já que, como vimos, nele há uma redução expressiva da quilometragem a ser percorrida. Como consequência, sua empresa ganha mais espaço em suas operações e, com isso, torna-se mais eficiente em suas rotinas.
  • MENOR PRESSÃO – Nas grandes metrópoles, problemas como assaltos, engarrafamentos e a dificuldade em estacionar geram ainda mais desafios para o e-commerce. Ao diminuir a necessidade de cumprir rotas, o PUDO ajuda a reduzir essas pressões, melhorando a performance da sua empresa na totalidade.”

     Lógico, existem desafios na hora de implantar o Sistema PUDO. É necessário, entre outras coisas, criar um planejamento de processos, adquirir as ferramentas apropriadas (hardware e software), definir as necessidades de capacidade produtiva, levando em consideração a sazonalidade, a análise da localização, o sistema de integração e o estabelecimento de padrões. Contratar uma empresa de consultoria talvez seja interessante, para saber qual versão de PUDO é melhor para a sua empresa. 

     Segundo Fernando Magnoler, product & pricing manager da Total Express, “com o PUDO pode ser decretado o fim do cliente ausente e do endereço não localizado. Cerca de 12% das compras feitas no Brasil não são entregues na primeira tentativa, o que acarreta:

  • 50 milhões de entregas desperdiçadas ou
  • Mais de 80 milhões de km rodados ou
  • 56 milhões gastos com gasolina a R$ 7 ou
  • 10 mil toneladas de CO2 emitidas

     Magnoler afirma também que “o PUDO é muito usado na China e no leste asiático. Na França, por exemplo, é mais barato entregar desta forma. No Brasil, o uso da modalidade é tímido, mas tem potencial de crescimento, pois existem atualmente 5 mil pontos de entrega que podem ser explorados”.

     Essa ferramenta pode ser enriquecida com as soluções que a Águia Sistemas tem em Intralogística. Somos os melhores do Brasil neste segmento. Mantenha contato conosco aguiasistemas.com/contato.

(O texto acima foi escrito usando informações dos sites ecommercebrasil.com.br, liveuniversity.com e oihandover.com)