Central de Atendimento
42 3220-2666
Ponta Grossa – PR
11 3606-5700
São Paulo – SP

Blog

Indústria e consumo na era da Sociedade 5.0

A transformação que vivemos hoje ganhou até um nome especial: Sociedade 5.0

 

Era uma vez a roda – sim, a roda. Pra gente, é algo tão simples, seu uso é tão óbvio, que parece que ela sempre existiu. Só que não. Foi preciso que nossos “tatatatata(…)ravós” imaginassem que a vida seria muito mais simples se eles utilizassem aquele objeto “circular” pra movimentar seus pertences em vez de arrastar tudo por aí. A tecnologia a serviço do nosso bem-estar. Era assim na antiguidade, continua sendo na era digital, mas numa escala muito maior.

A transformação que vivemos hoje ganhou até um nome especial: Sociedade 5.0, termo que define como um conjunto de ferramentas digitais – como Big Data, Inteligência Artificial e Internet das Coisas – vai moldar a organização social num futuro próximo, pra tornar a nossa rotina o mais confortável possível. O conceito surgiu no Japão e não é à toa: o país é berço de boa parte dessas tecnologias, então, é natural que esse tipo de preocupação começasse por lá.

Neste post, a gente vai debater como as mudanças da indústria 4.0 no segmento da logística devem transformar a maneira como a Sociedade 5.0 consome mercadorias. Uma coisa leva à outra e, no final, o mundo vai ser completamente diferente!

 

conexão de rede
Foto: Pixabay/Creative Commons

 

Internet das Coisas

A Sociedade 4.0 – que, historicamente, é onde ainda estamos – foi marcada pela informática e pelo surgimento da internet, em 1969. Depois de alguns anos, lá na década de 1990, bastava um computador, uma linha telefônica e pronto: você estava conectado com o mundo inteiro! E aí, passado mais um tempinho, veio o smartphone. Era o sinal dos tempos: a conexão deixava de ser fixa. Em casa ou na padaria, você estava ligado à internet. Do fixo pro móvel, do móvel pra tudo. A nova fronteira que começa a ser desbravada é a Internet das Coisas (IoT, da sigla em inglês), em que praticamente todo dispositivo que você tem contato passa a estar conectado. A geladeira, o carro e, é claro, tudo o que faz parte da cadeia logística, inclusive a própria mercadoria.

A IoT permite que as frotas sejam totalmente rastreadas e a informação gerada em tempo real, no meio do caminho. Assim, é possível fazer uma análise mais ampla de clima, tráfego e outros fatores que interferem no tempo gasto entre o armazém e o destino da carga. Como o próprio produto também vai estar conectado, o cliente terá uma estimativa muito mais precisa da data e horário da entrega. Se, hoje, você tem que ficar calculando o tempo com base em informações muitas vezes desatualizadas, no futuro o rastreamento será cirúrgico.

 

Pixabay Creative Commons
Foto: Pixabay/Creative Commons

 

Big Data

Você percebeu que a gente falou em informação, né?! É a matéria-prima do Big Data, um banco de dados sem fim, capaz de reunir grandes volumes de informações sobre praticamente tudo! É a partir dele que os gestores terão um leque de opções como nunca tiveram no momento da tomada de decisões, seja pra controlar o fluxo de mercadorias no estoque (reduzindo o tempo de espera pra que um produto saia do depósito), criar novos centros de armazenagem e distribuição, ou escolher as melhores rotas de acordo com as informações coletadas em viagens anteriores. Isso sem contar a redução no custo final! É a logística mais ágil e mais barata: tem como ser melhor?

 

Inteligência artificial

Pra quem gosta de ficção científica, é um prato-cheio. Mas, antes de pensar em robôs que se tornam mais inteligentes que o homem e dominam o mundo, é preciso deixar claro que, no conceito de Sociedade 5.0, as máquinas estão aqui pra ajudar!

Num primeiro momento, a Inteligência Artificial (IA) se relaciona de forma muito estreita com o Big Data. É que pra nós, humanos, é impossível lidar com essa quantidade gigantesca de dados, que vão se acumulando a cada segundo. É pra isso que nós inventamos os algoritmos, que são capazes de identificar padrões detalhados de consumo, facilitando o controle e reposição do estoque fixo e também de estoques sazonais, que têm picos de demanda dependendo do período considerado.

 

inteligência artificial
Foto: Pexels/Tara Winstead

 

Essa capacidade de analisar padrões também tem aplicação direta no caso dos funcionários dos depósitos. Cada vez mais, tarefas pesadas e repetitivas vão poder ser executadas por robôs inteligentes, inclusive com certo grau de tomada de decisões. Somando tudo, a gente tem menos produto parado numa linha de produção que funciona por mais tempo.

Por falar em autonomia, veículos que trafegam sozinhos estão a cada dia mais perto de ganharem ruas e estradas por aí! É claro que ainda estamos numa fase de transição, porém, a tendência é de que eles sejam muito mais seguros, sobretudo em rodovias, além do tempo de entrega pro consumidor final, que deve cair e muito.

Resumindo: é possível que a gente esteja diante de uma das maiores transformações no modo como a sociedade se articula. E aí, será que daqui a alguns milhares de anos, nossos “tatatatata(…)ranetos” vão pensar na era digital como a “roda” do século 21?

Com participação em diversos eventos dentro e fora do país, a Águia Sistemas está em linha com as principais tendências do mercado. Ficou interessado em contar com nossos serviços em sua empresa? Os especialistas da Águia Sistemas estão prontos para tirar todas as suas dúvidas: entre em contato conosco!